O valor total das transferências na chamada janela de verão europeia nas cinco ligas ‘top’ do continente (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália), concluída na segunda (2), bateu recorde neste ano.

De acordo com o jornal The Guardian, no encerramento do período em que as negociações são permitidas, os clubes desses países gastaram, conjuntamente, £ 5,25 bilhões (R$ 26,5 bilhões).

Em 2018, segundo o diário inglês, o gasto foi de £ 4,03 bilhões, ou 23% inferior.

(Parênteses 1: a maioria dos leitores certamente sabe, mas, para os poucos que talvez não saibam, £ é o símbolo de libra esterlina, a moeda britânica.)

(Parênteses 2: R$ 26,5 bilhões, para que o leitor possa dimensionar, supera o valor de mercado apresentado pela revista Forbes de empresas como Ultrapar, Cemig e Sabesp.)

Qual o jogador mais caro desta janela, que registrou 557 negociações em definitivo (incluindo as por empréstimo, foram mais de 1.900)?

Mais uma vez, um teenager.

Para contar com o português João Félix, de 19 anos, considerado “o novo Cristiano Ronaldo”, o Atlético de Madri pagou ao Benfica £ 113 milhões.

O atacante João Félix, de 19 anos, durante jogo do Atlético de Madri contra o Leganés no Campeonato Espanhol (Benjamin Cremel – 25.ago.2019/AFP)

Escrevo “mais uma vez” porque no ano passado quem esteve no topo da lista foi Kylian Mbappé, então com os mesmos 19 anos que hoje tem João Félix – o Paris Sain-Germain (PSG) despendeu £ 159,3 milhões pelo francês vinculado ao Monaco.

Os dois estão no pódio das mais caras contratações da história, atrás somente da de Neymar, do Barcelona para o PSG por £ 198 milhões, em 2017.

O gasto com João Félix foi quase todo recuperado pelo Atlético com a venda de Antoine Griezmann ao Barcelona, por £ 107,6 milhões.

A equipe da capital espanhola ainda engordou seu caixa ao negociar o lateral-esquerdo Lucas Hernández, que como Griezmann foi titular da França campeã mundial em 2018, com o Bayern de Munique por £ 68 milhões, e com a venda do volante Rodri ao Manchester City por £ 62,6 milhões.

Lucas Hernández e Rodri (que também é Hernández), aliás, estão na lista dos dez mais caros jogadores desta janela, apresentados a seguir.

  1. João Félix (português, atacante, 19 anos) – £ 113 milhões (R$ 570,1 milhões), do Benfica para o Atlético de Madri
  2. Antoine Griezmann (francês, atacante, 28 anos) – £ 107,6 milhões (R$ 542,9 milhões), do Atlético de Madri para o Barcelona
  3. Eden Hazard (belga, atacante, 28 anos) – £ 88,5 milhões (R$ 446,5 milhões), do Chelsea para o Real Madrid
  4. Harry Maguire (inglês, zagueiro, 26 anos) – £ 80 milhões (R$ 403,6 milhões), do Leicester para o Manchester United
  5. Nicolas Pépé (marfinense, atacante, 24 anos) – £ 72 milhões (R$ 363,3 milhões), do Lille para o Arsenal
  6. Romelu Lukaku (belga, atacante, 26 anos) – £ 70 milhões (R$ 353,2 milhões), do Manchester United para a Inter de Milão
  7. Lucas Hernández (francês, lateral-esquerdo, 23 anos) – £ 68 milhões (R$ 343,1 milhões), do Atlético de Madri para o Bayern de Munique
  8. Matthijs de Ligt (holandês, zagueiro, 20 anos) – £ 67,8 milhões (R$ 342,1 milhões), do Ajax para a Juventus
  9. Frenkie de Jong (holandês, volante, 22 anos) – £ 65,3 milhões (R$ 329,5 milhões), do Ajax para o Barcelona
  10. Rodri Hernández (espanhol, volante, 23 anos) – £ 62,6 milhões (R$ 315,8 milhões), do Atlético de Madri para o Manchester City

E como esses caríssimos jogadores têm atuado no início dos campeonatos da temporada 2019/2020?

Causaram impacto imediato ou ainda estão longe de mostrar tudo o que (supostamente) valem?

Dos atacantes, estão correspondendo às expectativas Griezmann (três jogos, dois gols e uma assistência), João Félix (três jogos, um gol e uma assistência) e Lukaku (dois jogos, dois gols).

Lukaku, que trocou o Manchester United pela Inter de Milão, comemora gol diante do Lecce; ele teve um bom começo no time italiano (Daniele Mascolo – 26.ago.2019/Reuters)

Pépé só registrou uma assistência em quatro partidas, e Hazard, machucado, ainda não jogou – muito se comentou na pré-temporada que ele estava acima do peso (até 7 kg), ou seja, gordo.

Os volantes De Jong (quatro jogos) e Rodri (três) têm sido titulares, porém sem apresentações marcantes e sem gols ou assistências. Razoáveis até aqui.

Maguire, o mais caro zagueiro da história, não deu, por enquanto, um jeito na inconstante defesa do Man United, que está com uma média de um gol sofrido por jogo.

De Ligt começou a Série A na reserva dos experientes Bonucci (32 anos) e Chiellini (35). Devido a uma séria lesão do segundo (joelho), será titular, mas não foi bem na estreia – mesmo vencendo, a Juventus levou três gols do Napoli.

E Lucas Hernández vem jogando, sem brilhar mas sem comprometer, como quarto-zagueiro no Bayern na Bundesliga. O treinador Niko Kovac prefere escalar Alaba, ídolo da torcida, na lateral esquerda – é um dos melhores do mundo por ali.

Em tempo 1: E jogadores brasileiros? Destaque para algum nas mais recentes negociações nas ligas mais poderosas? Merecem ser citados o zagueiro/lateral-direito Éder Militão, de 21 anos (£ 44 milhões, do Porto para o Real Madrid, onde é reserva), os atacantes Joelinton, de 23 anos (£ 40 milhões, do alemão Hoffenheim para o inglês Newcastle), Rodrygo, de 18 anos (£ 40 milhões, do Santos para o Real Madrid, onde está no time B) e Malcom, de 22 anos (£ 36 milhões, do Barcelona para o russo Zenit), e o lateral-direito Danilo, de 28 anos (£ 32,3 milhões, do Manchester City para a Juventus).

Em tempo 2: Sempre conforme os dados do Guardian, foram os clubes da Inglaterra os que mais gastaram na janela de transferências: £ 1,83 bilhão. Na sequência estão Espanha (£ 1,7 bilhão), Itália (£ 1,38 bilhão), França (£ 1,14 bilhão) e Alemanha (£ 923 milhões). Cifras todas superiores às do mesmo período de 2018.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here