O papa Francisco reconheceu nesta quarta-feira (11) que cometeu “graves erros de avaliação” sobre as acusações de pedofilia supostamente cometidas por padres no Chile e convocou os bispos do país para uma reunião em Roma sobre a situação.

Na carta aos bispos, apresentada pela Conferência Episcopal de Bispos do Chile, Francisco pediu perdão aos chilenos e prometeu se encontrar com as vítimas. 

Durante sua visita ao Chile, em meados de janeiro, o papa havia defendido o bispo de Osorno, acusado de acobertar abusos sexuais de padres contra menores.

“Não há uma única prova contra, tudo é calúnia, está claro?”, afirmou o papa. “O dia que me trouxerem uma prova vou falar”, disse à Radio Bío Bío.

O pontífice foi duramente criticado no país por não afastado o bispo, acusado de ter feito vista grossa aos crimes de pedofilia cometidos pelo padre Fernando Karadima, condenado em 2011 por abusar sexualmente de adolescentes.

Já de volta à Santa Sé, o papa pediu desculpas às vítimas chilenas. No fim de janeiro, ele decidiu enviar o principal investigador de abusos sexuais da Igreja Católica para o Chile para apurar as denúncias.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here