A esposa de Omar Mateen, o autor do massacre de Orlando que deixou 49 mortos em 2016, foi declarada “inocente” de cumplicidade no maior atentado terrorista nos EUA desde o 11 de setembro de 2001.

Noor Salman, 31, era acusada de obstrução de justiça e cumplicidade no ataque em nome do Estado Islâmico, cometido por seu marido na boate gay Pulse em 12 de junho de 2016. 

O ataque também deixou 50 feridos. Mateen foi morto pela polícia.

“Justiça foi feita”, disse o advogado de defesa Charles Swift ao sair do tribunal, de acordo com o canal 6, afiliada local da CBS.

Os 12 membros do júri começaram a deliberar na quarta-feira (28) no julgamento iniciado em 3 de março em um tribunal de Orlando, Flórida.

A defesa argumentou que Noor Salman tem um QI reduzido, é infantil e era dominada por um marido abusivo.

Também afirmou que a confissão que ela fez ao FBI no dia do ataque, em que admitia ter conhecimento de que Mateen cometeria o ataque, foi feita sob coerção do agente que a interrogou.

“Por que Omar Mateen iria confiar em Noor, uma mulher que ele claramente não respeitava?”, indagou a advogada Linda Moreno aos jurados em sua alegação final na quarta-feira, de acordo com o jornal Orlando Sentinel. “Ela não era sua parceira, não era sua confidente.”

Durante o julgamento foi revelado que Omar Mateen na verdade queria atacar a Disney, escondendo a arma em um carrinho de bebê, mas desistiu ao perceber a grande presença policial no local. Decidiu então, ao acaso, atacar a boate Pulse.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here