O governo do estado de São Paulo vetou, nesta quinta-feira (11), o Projeto de Lei 1.363/2015 que autorizava a venda de bebida e havia sido aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) em junho deste ano. A decisão, publicada no Diário Oficial (DOSP), é assinada pelo vice-governador Rodrigo Garcia.

Dias depois da aprovação na Alesp, o governador João Doria (PSDB) disse que vetaria o projeto por suposta inconstitucionalidade pós ter consultado a Procuradoria do Estado. Na mesma época, a Federação Paulista de Futebol (FPF) rebateu o governador dizendo que não haveria lei federal ou texto do estatuto do torcedor que fosse contrário à comercialização das bebidas.

Doria vinha sendo pressionado também pelos quatro principais clubes paulistas — São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos —​, que se organizaram nas redes sociais no último dia 26 para promover a hashtag “#LiberaBrejaSP”.

O PL 1363/2015 tem autoria de Itamar Borges (MDB) e foi votado pelo plenário da Alesp após passar por comissões da casa também neste ano.

Segundo o projeto de lei, a venda seria autorizada uma hora e meia antes do início das partidas e encerrada uma hora após o término, pelas lanchonetes e bares dos estádios.

“Consideram-se bebidas alcoólicas, para efeitos desta lei, as bebidas com teor alcoólico entre 6 a 9 % vol.”, diz o texto, que ainda discrimina que a comercialização deve ser feita em embalagens de plástico descartável que não pode ultrapassar os 500 ml.

O PL cita a experiência na Copa do Mundo de 2014, quando a venda foi permitida, como exemplo de que não há impedimento para a regularização da prática. Ressalta ainda que um dos objetivos da lei seria impedir que bebidas sejam vendidas de forma clandestina.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here