O suíço Roger Federer, 37, e o espanhol Rafael Nadal, 33, se enfrentam nesta sexta-feira (12) pela semifinal do torneio de Wimbledon (com transmissão do SporTV 3).

O horário de início da partida depende do andamento da outra semifinal, entre o sérvio Novak Djokovic, 32, e o espanhol Roberto Bautista Agut, 31. Esse jogo começou às 9h.

Saiba mais sobre o “Fedal” de número 40, acompanhado com muita expectativa por vários motivos:

Corrida por recorde A marca de 20 títulos de Grand Slam obtida por Federer é seguida de perto por Nadal, que tem 18, e Djokovic (15). Como os três são semifinalistas em Wimbledon, o torneio tem uma disputa direta entre o suíço, que tenta se distanciar na liderança, e os rivais, mais novos e que buscam alcançá-lo nos próximos anos.

Fator grama Vencedor de Wimbledon oito vezes, Federer sempre esteve à vontade na grama, piso que costuma privilegiar um estilo de jogo ofensivo e bons sacadores. Já Nadal, duas vezes campeão do Grand Slam britânico e 12 vezes de Roland Garros (jogado no saibro), estabeleceu seu domínio no piso mais lento.

Isso não significa que ele não seja capaz de jogar bem na grama, como o próprio Federer destacou na quarta (10). “O jogo do Rafa pode machucar qualquer um em qualquer piso. Ele não é apenas um especialista no saibro. Ele melhorou muito ao longo dos anos nesta superfície [grama] e também está jogando muito diferente do que costumava fazer”, afirmou.

Há uma polêmica em torno da velocidade da superfície nesta edição de Wimbledon. O suíço foi um dos que destacaram que as bolas estariam andando mais lentamente que o normal. “Senti que a quadra estava lenta. Eu não pude impactar tanto os golpes”, ele declarou após a sua estreia, na quadra central.

Já Nadal minimizou a questão. “A superfície para mim é a mesma de sempre. Eu tenho jogado aqui desde 2003. Honestamente, não vejo diferença”, disse no último sábado (6).

Retrospecto Embora a vantagem de Nadal seja ampla no histórico dos confrontos entre os dois (24 vitórias a 15), na grama a história é diferente. Eles se enfrentaram três vezes, em três finais de Wimbledon (2006, 2007 e 2008). Federer ganhou as duas primeiras, e o espanhol, a terceira, em um jogo memorável. A possibilidade de empatar o retrospecto com o suíço no torneio em que ele mais dominou seria um grande feito para Nadal.

Últimos confrontos Desde 2015, Federer e Nadal se enfrentaram seis vezes. Foram cinco vitórias seguidas do suíço na quadra dura, sequência quebrada por Nadal há cerca de um mês, nas semifinais de Roland Garros. Em dia de forte ventania em Paris, o espanhol venceu com tranquilidade, por 3 sets a 0.

Preço nas alturas Os ingressos para Wimbledon se esgotam com muita antecedência, e para consegui-los sem ser uma celebridade ou acampar na fila é necessário participar de um concorrido sorteio. No mercado de revenda de entradas, porém, é possível medir quanto interesse o “Fedal 40” desperta nos fãs de tênis.

Segundo o site TenisBrasil, um lugar na primeira fileira da quadra central para as semifinais desta sexta era revendido a R$ 33.800 pelo site Via GoGo na noite de quarta (10), após a definição dos confrontos.

Favoritismo Segundo as principais casas de apostas do mundo, é do espanhol Rafael Nadal, cuja vitória nesta sexta pagaria menos aos apostadores do que a do suíço.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here